O governo da Austrália construirá uma rede de banda larga de alta velocidade no valor de US$ 31 bilhões (43 bilhões de dólares australianos), com o estabelecimento de uma nova empresa de capital misto público-privado, depois de rejeitar propostas de empresas que, segundo as autoridades, não ofereceram suficiente valor pelo dinheiro que ela pretende investir.

Em uma decisão surpreendente, o primeiro-ministro Kevin Rudd anunciou nesta terça-feira (7) que convidaria empresas a aderir ao maior projeto de infraestrutura do país, para a construção de uma rede com velocidade até 100 vezes mais rápida do que a atual.

A Austrália oferece serviços de internet mais lentos e mais dispendiosos do que os de muitos países desenvolvidos, o que desperta preocupações quanto à sua competitividade, mas o projeto será dificultado pelas vastas distâncias e terreno inóspito do país.

“Temos de encarar a realidade quanto a isso. A iniciativa anunciada hoje é um investimento histórico na construção da nação, e tem por foco o interesse de longo prazo da Austrália”, disse Rudd a repórteres no Parlamento.

 

Aprovação do Parlamento


O governo de centro-esquerda venderia sua participação majoritária na empreitada cinco anos depois de a rede, que ainda não foi aprovada pelo Parlamento, se tornar plenamente operacional.

A rede de fibra óptica, que ocupou centro na campanha eleitoral vitoriosa de Rudd em 2007, vai ser o maior projeto de parceria entre os setores público e privado já empreendido na Austrália, e sublinha a preferência de Rudd por intervenção governamental, em meio a uma dolorosa crise mundial.

 

Um consórcio formado por prósperos empresários australianos e veteranos do setor de telecomunicações era o favorito para a vitória no projeto, com vantagem sobre a Optus, controlada pela Singapore Telecommunications, e sobre a Axia NetMedia, do Canadá.

A concorrência gerou controvérsias depois que a maior operadora de telefonia do país, a Telstra, foi eliminada da disputa em dezembro, quando a comissão governamental encarregada do processo decidiu que sua proposta não atendia aos requerimentos.

Uma pesquisa feita pelo Ibope com 390 jovens internautas de 15 a 19 anos de idade mostra que, depois da escola, o que eles mais fazem é usar o computador – em média, mais de quatro horas por dia.

 

Veja o site do Jornal Nacional
De acordo com a pesquisa, os jovens passam, por dia, 4h36m no computador e 2h54m fazendo a lição de casa. Música e televisão vêm em seguida, com 2h30m e 2h12m, respectivamente. No final da lista estão as atividades físicas (1h48m) e leituras fora do computador (1h42m).

Para a educadora Sílvia Colello, o computador e a internet podem ser ótimas ferramentas de desenvolvimento para o jovem, mas depende de como ele as utiliza. O importante, segundo ela, é manter o equilíbrio.

“É o caso daquele jovem que fica muito no computador, o pai chamar, conversar, trazer os livros… ‘vamos estudar, vamos fazer um esporte’. Aí, se ele ficar um pouquinho no computador, não tem problema”, explica.

 

O pacotão de respostas de dúvidas de segurança de hoje comenta várias questões interessantes. A primeira pergunta é sobre testes de programas firewall. A segunda questiona a segurança do recurso de memorização de senhas do Firefox. Por fim, um leitor indaga como saber se um determinado problema com teclado e touchpad é vírus. Vamos lá!

Se você tem alguma dúvida sobre segurança da informação (antivírus, invasões, cibercrime, roubo de dados, etc), vá até o fim da reportagem e deixe-a na seção de comentários. A coluna responde perguntas deixadas por leitores todas as quartas-feiras.

>>>> Teste de firewalls
Existem programas para testar firewalls?
Luiz

Existem sim, de dois tipos.

Os mais comumente conhecidos são os que realizam algum teste no firewall por meio da rede. O ShieldsUp! é o mais popular dessa categoria, destinada a usuários domésticos. Trata-se de um site que tenta realizar uma série de conexões no seu computador, tentando obter informações a respeito das ‘portas’ que estão abertas ou camufladas e, em alguns casos, também dos programas que estão em execução.

 

Nesse caso, nenhum programa precisa ser baixado ou instalado para fazer o teste; embora existam sim programas para isso, você provavelmente não quer nada com eles, Luiz, a não ser que seja um técnico ou especialista em segurança.

O segundo tipo software para teste de firewalls são executados localmente e tentam identificar os chamados “vazamentos”. Enquanto os testes de rede tentam verificar se o firewall está protegendo seu sistema contra ataques remotos (que partem de um invasor externo), esses outros apontam a capacidade do firewall de impedir que algum programa em execução no computado envie dados para a internet sem a devida autorização.

O site Firewall Leak Tester, especializado no assunto, possui uma extensa lista de aplicativos que tentam obter uma conexão com a internet de formas indiretas, burlando alguns firewalls.

Se você quiser realizar esses testes, não pode esquecer de alguns detalhes muito importantes.

No caso de testes via rede, um modem ADSL configurado em modo roteador ou provedor de internet via rádio que não fornece endereços IP válidos irá interferir com o teste e inutilizá-lo completamente. Isso acontece porque o modem ou o provedor – conforme for o caso — fica de “ponte” entre o sistema do usuário e a internet, efetivamente sendo o receptor de qualquer conexão e protegendo o computador como um firewall simples faria.

Já nos testes de vazamento, é importante lembrar que esses só são relevantes para quem tem interesse em autorizar o acesso à Internet de cada aplicativo. Além disso, eles só valem se alguma praga digital conseguir se alojar no sistema — o que é algo muito indesejado por si só. Muito provavelmente, em vez de tentar burlar o firewall, o vírus pode desativá-lo por completo, a não ser que uma conta limitada esteja em uso.

>>>> Senhas memorizadas
Salvar as senhas no recurso ‘Memorizar’ do Mozilla Firefox é seguro?
Mariana

Não mesmo, Mariana. Não apenas porque as senhas são, inicialmente, armazenadas como texto simples, mas porque trata-se de uma localização padrão. Em outras palavras, se você quer descobrir as senhas de alguém, é bem fácil ir até o Firefox e verificar o recurso de senhas memorizadas. Experimente: Ferramentas > Opções > Segurança > Senhas Memorizadas.

Se as mesmas senhas estivessem armazenadas em um arquivo de texto simples gravado em outra pasta (oculta, ou com nome pouco sugestivo) uma pessoa com más intenções teria mais dificuldade para achar suas senhas do que ali.

É possível, no entanto, tornar o memorizador de senhas mais seguro. Basta ativar o uso de uma senha mestra. Nessa configuração, o Firefox criptografa ou “codifica” as suas senhas, e só conseguirá decodificá-las usando a chave, qual seja, a senha que você configurou. 

Foto: Reprodução

O recurso de memorização de senhas do Firefox permite que todas as senhas sejam visualizadas pela própria interface do programa, a não ser que uma senha mestra seja configurada. (Foto: Reprodução)

Você terá de digitar a senha toda vez que o Firefox precisar acessar suas senhas memorizadas. E ainda é possível quebrar a senha mestra, se a pessoa tiver mais conhecimento. É muito mais seguro, no entanto, e você só precisará lembrar de uma senha.

>>>> Teclado com problema é vírus?
Meu notebook, desde janeiro de 2009, de uma hora para outra, começou a apresentar falhas no teclado na hora de teclar e no touchpad. Tenho certeza que não é sujeira. Pode ser algum tipo de vírus ou malware?
Vagner Silva

Pode não ser sujeira, mas ainda pode ser um problema de hardware. Sugiro que pegue um LiveCD do Linux, que lhe permite iniciar o computador no Linux a partir de um CD sem alterar nenhuma configuração da sua máquina.

 

Quando o computador terminar de inicializar, tente executar um editor de texto e digitar. Use o touchpad. Se tudo estiver funcionando, o problema está no Windows; pode até ser uma praga digital, mas provavelmente é um comportamento não-intencional, pois os vírus preferem não ser notados.

O colunista do G1 Fernando Panissi explicou como instalar o Linux, mas você não precisa fazer isso. Basta iniciar o sistema pelo CD, fazer o teste e reiniciar o notebook. Muitos problemas ‘causados por vírus’ podem ser verificados dessa forma.

O pacotão desta semana termina aqui. A coluna volta na sexta-feira (20) com as principais notícias de segurança da semana. Até lá!  

 

* Altieres Rohr é especialista em segurança de computadores e, nesta coluna, vai responder dúvidas, explicar conceitos e dar dicas e esclarecimentos sobre antivírus, firewalls, crimes virtuais, proteção de dados e outros. Ele criou e edita o Linha Defensiva, site e fórum de segurança que oferece um serviço gratuito de remoção de pragas digitais, entre outras atividades. Na coluna “Segurança para o PC”, o especialista também vai tirar dúvidas deixadas pelos leitores na seção de comentários. Acompanhe também o Twitter da coluna, na página

Pixels
Para saber quais as vantagens e desvantagens da quantidade de pixels, é necessário entender a seguinte definição: o pixel é o menor elemento de uma imagem digital — na prática, esse tipo de imagem é composta por inúmeros pequenos pontos, extremamente próximos uns dos outros. Quanto mais pixels, melhor será a qualidade da imagem. Em contraponto, ela também será mais pesada (isso torna mais lento, por exemplo, o envio de e-mails com fotos, além de ocupar mais espaço no disco rígido).

Cada pixel pode ser verde, vermelho ou azul, além de poder exibir 256 tonalidades diferentes dentro de cada uma dessas cores. A quantidade de pixels determina a resolução da imagem. Segue abaixo uma tabela de referência que mostra a variação de pixels necessários, de acordo com o tamanho da foto.

Com essa tabela, é possível concluir que câmeras de até 3,1 megapixels permite uma impressão de boa qualidade. Nada impede a impressão em formatos maiores (já que essa é apenas uma tabela de referência), mas, dependendo da quantidade de cores e detalhes da imagem, ela pode sair granulada.

Como cheguei a essa conclusão? Para saber como a resolução ficará no papel, basta dividir os pixels da tabela acima por 200 (2048 pixels divididos por 200 e 1536 pixels por 200, por exemplo) e multiplicar o resultado por 2,54 para ter um tamanho aproximado em centímetros. Esse cálculo traz no resultado o tamanho “ideal” da foto, para que sua qualidade seja realmente boa — isso não significa que outros tamanhos ficarão necessariamente ruins.

O número 200 refere-se à quantidade de pontos por polegada (dpi). Essa unidade de medida é usada para referenciar a resolução de impressão de uma imagem. Quanto mais pontos dentro de uma mesma polegada, maior a resolução da impressão. Abaixo de 200 pontos, a imagem pode apresentar granulações.

Um fotógrafo amador pode muito bem se virar com 3,1 megapixels de resolução. Mas se você é daqueles que gosta de ampliações, pode configurar numa boa a câmera para uma resolução maior. Lembre-se sempre que uma resolução alta pode deixar a câmera mais lenta, pois quanto mais megapixels estão configurados, mais tempo a câmera levará para capturar e converter a imagem em arquivo. Além disso, o arquivo irá ocupar mais espaço na memória.

Entendido o que é megapixel e como escolher a melhor resolução para depois revelar suas fotos? Então vamos seguir em frente e falar sobre as memórias.

Cartão de memória
Cada fabricante de câmera adotou um tipo de cartão de memória existente no mercado. Todos eles, no entanto, compartilham da mesma tecnologia base: a memória flash, desenvolvida pela Toshiba em meados dos anos 80.

Além disso, todas as marcas têm as mais variadas capacidades e o custo desses cartões é muito parecido, com exceção do modelo da Sony, que, por ser proprietário, acaba sendo mais caro. Como as diferenças são muito pequenas, eu diria que essa não é uma questão com a qual você deve se preocupar na hora da compra: basta escolher um fabricante conhecido e um cartão com capacidade de armazenamento adequada para suas necessidades.

O importante mesmo é escolher bem a câmera, independente do modelo do cartão de memória. E na hora de comprar seu equipamento fotográfico, alguns detalhes importantes são o zoom (dê preferência por câmeras com zoom óptico), a velocidade entre uma foto e outra, o tipo de bateria e seu tempo de duração.

Atire a primeira pedra quem nunca reclamou de seu computador estar lento. Uma forma de resolver o problema é comprar peças para atualizar seu PC ou mesmo adquirir uma máquina nova. Mas isso envolve custos e, como bem se sabe, nem sempre temos dinheiro sobrando. Por isso, vou listar uma série de dicas para você deixar seu computador mais rápido. E o melhor: sem gastar nada! )Algumas dessas sugestões são bem básicas, enquanto outras requerem algum grau de conhecimento — não se preocupe, pois vamos detalhar tudo. As dicas são para o Windows XP, que é o sistema mais usado na atualidade. Vamos a elas.

BASICÃO

1) Abra somente os programas necessários. Não abra softwares que não vai usar, nem deixe esses programas abertos após o uso.

2) Seja organizado com seus arquivos, para ocupar o menor espaço possível em disco. Faça backup das pastas e arquivos que você nunca usa em CD/DVD e guarde-os fora do computador.

3) Na instalação de programas, nunca deixe ativa a opção de iniciá-los automaticamente com o computador. Isso deixa o processo de inicialização mais lento.

OTIMIZANDO O WINDOWS

Aqui, além de instalar alguns programas, vou indicar procedimentos que, apesar de simples, requerem atenção. Se você não se sentir confortável a executar algum deles, chame aquele primo que adora computadores. )

1) Armazenamento
O Windows funciona com um sistema de registros, que armazena um monte de informações sobre o que está instalado, suas configurações e caminhos para que os programas funcionem adequadamente. Deixar lixos no registro comprometem o desempenho da máquina. Clique aqui e faça o download do MV RegClean 5.0, que é um programa muito simples e funcional.

– Ao finalizar a instalação, execute o programa: ele estará em um ícone na sua área de trabalho.
– A interface é bem simples. Clique no botão Opções e verifique se o item “sempre gerar backup antes da remoção de itens inválidos” está ativo. Em caso negativo, ative-a.
– Clique em Confirmar.
– Clique em Iniciar.
– Aguarde finalizar o diagnóstico.
– Clique em Remover.

2) Recursos visuais
Se você acha mais importante um bom desempenho do que certos recursos visuais do Windows, vamos desabilitá-los. Isso disponibiliza recursos para você usar em outras aplicações.

– Clique em Iniciar, Configurações, Painel de Controle e, finalmente, em Sistema.
– Na janela que se abrirá, selecione a aba Avançado.
– Na opção Desempenho, clique em Configurações.
– Na aba Efeitos visuais, desabilite os efeitos que você considera menos importantes — se preferir desabilitar todos, basta selecionar ajustar para o melhor desempenho.

Desabilite também o recurso de Desktop Offline

– Clique em Iniciar, depois em Configurações, Painel de Controle e Vídeo.
– Clique na aba Área de trabalho e, na seqüência, no botão Personalizar Área de Trabalho.
– Clique na aba Web e, em seguida, no botão Propriedades.
– Desabilite o item Tornar esta página disponível offline.
– Clique em OK.
– Volte na aba Geral.
– Aproveite para desabilitar o campo Executar o assistente para limpeza a cada 60 dias, que também consome recursos de seu PC.

3) Desfragmentador de disco
Procure sempre rodar o desfragmentador de disco. Não sabe o que é isso? Imagine que em seu HD os arquivos ficam espalhados por todo canto, não importa em que pasta você os coloque. O desfragmentador põe ordem na casa, deixando em primeiro lugar os arquivo que você mais acessa. O Windows tem um desfragmentador embutido.

– Clique em Iniciar e, depois, em Programas.
– Vá em Acessórios e, depois, em Ferramentas de sistema.
– Clique em Desfragmentador de disco.
– No programa, selecione uma unidade de disco (C:) e clique em Desfragmentar.

4) Iniciar e desligar
Também é possível melhorar o desempenho no momento de iniciar e desligar o computador. Muita atenção para executar estes procedimentos: se eles forem feitos de forma errada, pode comprometer o funcionamento de seu computador.

– Vá em Iniciar.
– Clique em executar, escreva regedit e aperte o botão OK.
– A tela que vai abrir se parece muito com o Windows Explorer.
– Clique no sinal de mais ao lado de HKEY_CURRENT_USER.
– Procure o item Control Panel e clique no sinal de mais.
– Procure o item Desktop e clique nesta pasta.
– À direita, vai aparecer uma lista de itens. Procure WaitToKillAppTimeout e dê duplo clique sobre esse nome.
– Mude o campo Dados do valor para 4000.
– Clique em OK.
– Volte na árvore de pastas do lado esquerdo e siga os passos a seguir.
– Clique no sinal de mais ao lado de HKEY_LOCAL_MACHINE.
– Procure o item System e clique no sinal de mais.
– Procure o item CurrentControlSet e clique no sinal de mais.
– Procure o item Control e clique na pasta.
– À direita vai aparecer uma lista de itens. Procure WaitToKillServiceTimeout e dê duplo clique sobre esse nome.
– Mude o campo Dados do valor para 4000.
– Clique em OK.
– Feche o regedit e reinicie seu computador.

5) Memória
Atenção: Esta dica é para quem tem Windows XP Professional.
Quando você usa alguns programas específicos do Windows, o sistema operacional tem por hábito deixar seus arquivos DLL na memória por algum tempo, mesmo depois de você fechar o programa. Isso pode tornar o uso do computador um pouco mais lento – confira as dicas para evitar isso.

– Vá em Iniciar
– Clique em executar, escreva gpedit.msc e aperte o botão OK.
– À esquerda, dentro de Configuração do computador, clique na seta ao lado de Modelos Administrativos.
– Aguarde carregar: isso pode levar alguns segundos.
– Clique na seta ao lado de Sistema.
– Clique na pasta Perfis de usuário.
– À direita aparecerá uma lista de itens. Dê duplo clique no item Número máximo de tentativas para descarregar e atualizar perfil de usuário.
– Mude o campo selecionado para Ativado e o campo Máx de tentativas para 0.
– Clique em OK e feche o gpedit.

6) Limpeza
Existe também no Windows uma ferramenta para ajudar na limpeza de seu disco rígido.

– Clique em Iniciar e, depois, em Programas.
– Vá em Acessórios e em Ferramentas de sistema.
– Clique em Limpeza de disco.
– No programa, selecione uma unidade de disco (C:) e clique em OK.
– Depois de o programa analisar seu disco, clique em OK novamente.

Depois de fazer tudo isso, reinicie seu computador. Provavelmente você vai sentir um ganho de desempenho. Existem ainda alguns macetes, como mexer nas configurações de inicialização (o que roda ou não) e nos serviços do Windows, mas isso eu vou deixar para outro post. Se você chegou até aqui, já é um vencedor. )

Comentários estão abertos. Critique, elogie, deixe mais dicas e perguntas!

ORGANIZAR E COMPARTILHAR

Picasa
O Picasa é um software muito legal para organizar e compartilhar suas fotos. Ele rastreia todo seu computador, mostrando onde estão as imagens. Depois, você pode organizá-las em pastas, editar cada uma delas e publicá-las na internet (por exemplo, em seu blog — leia aqui o post sobre blogs).

The GodFather
Você tem muitas músicas armazenadas em seu computador? Elas estão organizadas? Esse software ajuda a colocar ordem na casa e a gerar listas de execução, para escutá-las nos principais players do mercado.

TODOS EM UM

Miranda
Você tem mais de um comunicador instantâneo (tipo messenger)? Os contatos ficam espalhados por eles? O Miranda funciona centralizando tudo em uma única lista — com uma interface simples e muito pouco consumo de memória. Como o Firefox, ele possui um dezenas de complementos que podem deixá-lo ainda mais legal.

COMPACTAR SEM COMPLICAR

FilZip
O Windows XP tem uma ferramenta própria para compactar e descompactar arquivos, mas não trabalha muito bem com aqueles muito grandes e com alguns tipos de compactação. Por isso, é sempre bom ter a mão uma alternativa. O FilZip é pratico e trabalha integrado a seu sistema, permitindo abrir extensões como ARJ, CAB, RAR, TAR e LHA.

MULTIMÍDIA SEM SOFRIMENTO

K-Lite Codec Pack
Já tentou ver algum filme no computador e não foi possível por um erro de Codec? Sem atropelo, esse pacote ajuda a resolver o problema. Você não sabe o que é um Codec? A sigla representa um pequeno aplicativo capaz de codificar e decodificar conteúdos multimídia — sempre que sai uma nova tecnologia de gravação de vídeo, ela vem atrelada a um Codec. Esse aplicativo precisa estar no seu PC para que você possa ver o vídeo por ele codificado.

CADA UMA POR DIA

Magentic
Para quem gosta de variar o papel de parede e as proteções de tela do PC, esse software ajuda de uma forma simples. Ele tem em seu banco de dados diversas opções para você escolher, além de trocar as imagens automaticamente.

CAPTURANDO E ARQUIVANDO

Gadwin PrintScreen
Algumas vezes precisamos capturar uma imagem de nossa tela e não sabemos como — esse programa ajuda nisso. Ele é simples e ainda exporta a tela salva em diversos formatos.

TOME NOTA

Fix Notes
Sabe aqueles post-it que você adora? Se você ainda não tem ou não conhece a versão eletrônica deles, aproveite agora para baixar e começar a colá-los por toda sua área de trabalho.

UPDATE
O leitor pediu:
Nessa linha de software grátis e livre de adware, spyware, etc, seria bom se mostrasse para nós algum que possa substituir o caríssimo Money, da microsoft. Grato.
João Feliciano

Então nós atendemos:
AceMoney
Este programa é simples e muito útil para quem quer controlar suas economias. Ele permite criar grades de orçamento e visualizar gráficos de como andam seus ganhos e gastos.

A lista tem diversas coisas interessantes para serem instaladas no seu PC. Provavelmente, você leitor deve conhecer outros programas que não foram citados aqui. Deixe suas dicas nos comentários! Elas podem ser úteis para um próximo post aqui no blog.

Mas será impossível decorar tudo: existem milhares desses atalhos, pois cada programa tem seu próprio conjunto de teclas. Vou abordar aqui os softwares mais usuais para quem trabalha com o PC e navega na internet. Vamos lá?

WINDOWS 2000/XP

CTRL+C – Copiar o item selecionado.
CTRL+X – Recortar o item selecionado.
CTRL+V – Colar o item selecionado.
CTRL+Z – Desfazer.
CTRL+A – Selecionar tudo.
CTRL+F4 – Fechar o documento ativo em programas que permitem vários arquivos abertos (exemplo Word).
CTRL+seta para a direita – Mover o cursor de edição para o início da próxima palavra.
CTRL+seta para a esquerda – Mover o cursor de edição para o início da palavra anterior.
CTRL+seta para baixo – Mover o cursor de edição para o início do próximo parágrafo.
CTRL+seta para cima – Mover cursor de edição para o início do parágrafo anterior.
CTRL+ESC – Exibir o menu Iniciar.

SHIFT+DELETE – Excluir um item selecionado permanentemente sem colocá-lo na lixeira.
SHIFT+F10 – Exibir o menu de atalho para o item selecionado.

F1 – Exibir a “Ajuda” do programa em execução.
F2 – Alterar o nome do item selecionado.
F3 – Procurar um arquivo ou uma pasta.
F4 – Exibir a lista da barra de endereços em “Meu computador” ou no “Windows Explorer”.
F5 – Atualizar a janela ativa.
F6 – Percorrer os elementos da área de trabalho ou de uma janela.
F10 – Ativar a barra de menus no programa em uso.

ALT+ENTER – Exibir as propriedades do item selecionado.
ALT+F4 – Fechar o programa em uso.
ALT+TAB – Alternar entre os programas em execução.
ALT+ESC – Percorrer os itens na ordem em que foram abertos.

Backspace – Exibir a pasta um nível acima no Windows Explorer.
ESC – Cancelar a tarefa atual.

ATALHOS USANDO A TECLA DO WINDOWS
A tecla do Windows é essa que aparece na imagem abaixo. Praticamente todos os teclados têm uma dessas; procure no seu.

WINDOWS – Mostra o menu do botão “Iniciar”.
WINDOWS + pause break – Mostra a tela de “Propriedades do Sistema”.
WINDOWS + D – Minimiza todas as janelas e exibe a área de trabalho. Se pressionado novamente, restaura as janelas abertas.
WINDOWS + E – Abre o Windows Explorer.
WINDOWS + F – Abre a janela de pesquisa.
WINDOWS + F + CTRL – Procura por computadores na rede.
WINDOWS + L – Bloqueia a área de trabalho.
WINDOWS + M – Minimiza todas as janelas.
WINDOWS + R – Abre a janela de “Executar um Aplicativo”.
WINDOWS + TAB – Alterna entre as janelas abertas.

ATALHOS DO INTERNET EXPLORER (7.0)

GERAL
F11 – Habilitar ou desabilitar o modo de tela inteira.
TAB – Percorrer a barra de endereços, o botão atualizar, a caixa de pesquisa e itens em uma página da web.
CTRL+F – Localizar uma palavra ou frase em uma página.
CTRL+N – Abrir a página da web atual em uma nova janela.
CTRL+P – Imprimir a página.
CTRL+A – Selecionar todos os itens na página.
CTRL+ sinal de mais – Mais zoom.
CTRL+ sinal de menos – Menos zoom.
CTRL+ 0 – Zoom a 100%.

ATALHOS DE NAVEGAÇÃO
ALT+ Home – Ir para a página inicial.
ALT+seta para a esquerda – Voltar.
ALT+seta para a direita – Avançar.
F5 – Atualizar página.
CTRL+F5 – Atualizar página e cache.
ESC – Interromper o download da página.

ATALHOS PARA OS FAVORITOS
CTRL+I – Abrir favoritos.
CTRL+B – Organizar favoritos.
CTRL+D – Adicionar página atual a favoritos.
CTRL+J – Abrir feeds.
CTRL+H – Abrir histórico.

ATALHOS PARA GUIAS, OU ABAS
CTRL+W – Fechar guia (fecha a janela se apenas uma guia estiver aberta).
CTRL+Q – Abrir exibição “Guia Rápida”.
CTRL+T – Abrir nova guia.
CTRL+SHIFT+Q – Exibir lista de guias abertas.
CTRL+TAB – Alternar para próxima guia.
CTRL+SHIFT+TAB – Alternar para guia anterior.

ATALHOS DA BARRA DE ENDEREÇOS
ALT+D – Selecionar a barra de endereços.
CTRL+ENTER – Adicionar “http://www.” ao início e “.com” ao final do texto na barra de endereços.
F4 – Exibir lista de endereços previamente digitados.

CAIXA DE PESQUISA INSTANTÂNEA
CTRL+E – Selecionar a caixa de pesquisa instantânea.
CTRL+seta para baixo – Exibir lista de mecanismos de pesquisa.
ALT+ENTER – Abrir resultados de pesquisa em nova guia.

MICROSOFT WORD

TECLAS PARA FORMATAR CARACTERES E PARÁGRAFOS
CTRL + SHIFT + F – Altera o tipo de letra.
CTRL + SHIFT + > (maior que) – Aumenta o tamanho da letra.
CTRL + SHIFT + – Diminui o tamanho da letra.
CTRL + D – Exibe o menu para seleção de fontes.
SHIFT + F3 – Altera letras selecionadas para maiúsculas ou minúsculas.
CTRL + SHIFT + A – Formata como maiúsculas.
CTRL + N – Coloca as palavras selecionadas em negrito.
CTRL + S – Sublinha as palavras selecionadas.
CTRL + I – Itálico
CTRL + SHIFT +W – Sublinha só em palavras, e não nos espaços.
CTRL + barra de espaço – Remove formatação manual (exclui negritos e itálicos, por exemplo).
CTRL + SHIFT + C – Copia formatos.
CTRL + SHIFT + V – Cola formatos.
CTRL + 1 – Define espaçamento simples entre linhas.
CTRL + 2 – Define espaçamento duplo entre linhas.
CTRL + 5 – Define espaçamento entre linhas de 1,5.
CTRL + J – Justifica um parágrafo selecionado.
CTRL + E – Alinha um parágrafo selecionado à esquerda.
CTRL + H – Alinha um parágrafo selecionado à direita.
CTRL + Q – Remove a formatação de parágrafo.
ALT + CTRL + K – Inicia formatação automática.

TECLAS DE FUNÇÃO
F1 – Ajuda on-line; assistente do Office.
F2 – Mover textos gráficos.
F3 – Inserir uma entrada de texto.
F4 – Repetir a última ação.
F5 – Comando “ir para”.
F6 – Painel seguinte.
F7 – Verificar ortografia.
F8 – Ajuda na seleção de texto.
F9 – Atualiza campos selecionados.
F10 – Barra de menus.
F11 – Ir para o campo seguinte.
F12 – Salvar como.

Ufa! Vocês acham que acabou? Bom, aqui no blog sim. Mas como sou um cara legal, coletei pela internet mais uma série de teclas atalhos e vou indicar para vocês. )

Microsoft Excel
– Microsoft Power Point – Conheça os atalhos do programas e clique aqui para ver os atalhos que podem ser usados durante uma apresentação.
Microsoft Outlook
Firefox
Adobe Photoshop

Pronto, agora chegamos ao fim! Claro que existem muitas outras teclas — confesso, inclusive, que eu nem conhecia todas essas. Digo isso antes que vocês pensem que sou um alucinado que decora milhares de atalhos!