Restaurantes nos Estados Unidos, Europa e Japão estão testando uma nova forma de fazer atendimentos. Em vez de dizer ao garçom, que anota o pedido, o novo sistema permite aos fregueses pedir seu prato diretamente, por meio de telas instaladas nas mesas.

Além de cortar custos, as empresas que vendem o “e-menu” também afirmam que a tecnologia pode atrair pela novidade e levar mais fregueses jovens aos restaurantes, utilizando imagens atraentes de filés suculentos e sobremesas tentadoras para inspirar os fregueses a pedir mais.

A idéia parece ser apenas mais um truque de marketing em um setor movido por modas e caprichos dos consumidores. Mas, pelo menos por enquanto, a tecnologia parece estar movimentando os negócios.

Em Israel, a empresa Conceptic já instalou a tecnologia de “e-menu” em alguns bares e restaurantes. O sistema se baseia em touchscreen (tela de toque) que já estão em uso em refeitórios self-service ou para serviços de venda de ingressos e compra de passagens em cinemas e aeroportos.

“Trata-se da compra impulsiva”, diz Adi Chitayat, presidente-executivo da Conceptic. “Se uma pessoa começar a ver fotos de um bolo de chocolate, é provável que vá acabar pedindo.”

A empresa também forneceu seus sistemas a restaurantes na França, África do Sul e Bélgica.

O Frame, um restaurante de sushi que tem feito sucesso em Tel Aviv e usa o sistema, disse que as vendas nas mesas equipadas com o “e-menu” subiram cerca de 11%.

Os consumidores muitas vezes telefonam com antecedência para reservar as mesas equipadas com as telas, disse a gerente Natalie Edry à Reuteres.

0805689.jpg