Aplicativo é competidor direto do SharePoint, da Microsoft.
Ferramenta pode ser acessada de qualquer computador com conexão à internet.

O Google, o mais popular endereço de buscas na internet de todo o mundo, está planejando se tornar também o lugar mais procurado para a criação de websites.

A empresa está lançando nesta quinta-feira (28) o Google Sites, ferramenta on-line gratuita para criar sites coletivos, com o objetivo de centralizar a informação utilizada por pessoas que trabalham na mesma companhia, estudam na mesma classe ou compartilham algum interesse em comum.

Com poucos cliques, se torna possível criar, customizar e atualizar um site usando uma ampla gama de material, inclusive fotos, calendários e até vídeos do YouTube, segundo Dave Girouard, diretor da unidade que desenvolveu a nova aplicação.

“Nós estamos literalmente acrescentando um botão de editar à internet”, disse Girouard. O Google adquiriu várias ferramentas relacionadas à websites quando comprou a JotSpot – uma promissora empresa do Vale do Silício – no ano passado.

 Competição

O Google Sites é a mais recente adição à uma lista de aplicações oferecidas pela empresa como alternativas à produtos similares vendidos pela Microsoft, uma das maiores rivais do Google.

O novo produto é um competidor direto do SharePoint da Microsoft, que não é gratuito. O Google está anunciando sua alternativa alguns dias antes de uma conferência de sua rival em sobre o SharePoint, em Seattle.

Ao contrário dos programas feitos pela Microsoft – normalmente instalados em computadores individuais – o programa será baseado nos servidores do Google, de modo que pode ser acessado de qualquer lugar que tenha conexão à Internet.

Introduzindo gradualmente versões gratuitas de processadores de texto, planilhas e calendários, o Google ameaça os lucros da Microsoft, que tem a maior parte de seu faturamento vindo da venda de softwares.

Por sua vez, a companhia criada por Bill Gates espera ganhar espaço sobre o domínio do Google em sistemas de busca e anúncio através da compra do Yahoo – recentemente, a empresa fez uma oferta de aquisição superior a US$ 40 bilhões.

Até hoje, os aplicativos ainda não representam uma parcela importante do faturamento do Google. No ano passado, o setor respondeu por US$ 181 milhões, enquanto a área de anúncios e propaganda gerou US$ 16,4 bilhões.

Anúncios