O governo da Austrália construirá uma rede de banda larga de alta velocidade no valor de US$ 31 bilhões (43 bilhões de dólares australianos), com o estabelecimento de uma nova empresa de capital misto público-privado, depois de rejeitar propostas de empresas que, segundo as autoridades, não ofereceram suficiente valor pelo dinheiro que ela pretende investir.

Em uma decisão surpreendente, o primeiro-ministro Kevin Rudd anunciou nesta terça-feira (7) que convidaria empresas a aderir ao maior projeto de infraestrutura do país, para a construção de uma rede com velocidade até 100 vezes mais rápida do que a atual.

A Austrália oferece serviços de internet mais lentos e mais dispendiosos do que os de muitos países desenvolvidos, o que desperta preocupações quanto à sua competitividade, mas o projeto será dificultado pelas vastas distâncias e terreno inóspito do país.

“Temos de encarar a realidade quanto a isso. A iniciativa anunciada hoje é um investimento histórico na construção da nação, e tem por foco o interesse de longo prazo da Austrália”, disse Rudd a repórteres no Parlamento.

 

Aprovação do Parlamento


O governo de centro-esquerda venderia sua participação majoritária na empreitada cinco anos depois de a rede, que ainda não foi aprovada pelo Parlamento, se tornar plenamente operacional.

A rede de fibra óptica, que ocupou centro na campanha eleitoral vitoriosa de Rudd em 2007, vai ser o maior projeto de parceria entre os setores público e privado já empreendido na Austrália, e sublinha a preferência de Rudd por intervenção governamental, em meio a uma dolorosa crise mundial.

 

Um consórcio formado por prósperos empresários australianos e veteranos do setor de telecomunicações era o favorito para a vitória no projeto, com vantagem sobre a Optus, controlada pela Singapore Telecommunications, e sobre a Axia NetMedia, do Canadá.

A concorrência gerou controvérsias depois que a maior operadora de telefonia do país, a Telstra, foi eliminada da disputa em dezembro, quando a comissão governamental encarregada do processo decidiu que sua proposta não atendia aos requerimentos.